Mais de 20% dos hispânicos nos EUA são pobres, diz estudo

Washington, 29 abr (EFE).- O declive econômico dos Estados Unidos afetou especialmente as minorias do país, entre elas a latina que, segundo um estudo divulgado hoje, registra taxas de pobreza de 20,6%, muito acima da de 8,2% apresentada pelos brancos.

EFE |

O relatório, preparado pelo Centro de Progresso Americano (CAP), grupo de estudos "dedicado a melhorar a vida dos americanos por meio de idéias e ações", segundo sua página de internet.

O CAP afirma que, entre os anos de 2000 e 2006, a porcentagem de latinos que viviam na linha de pobreza aumentou de 19,2% para 20,6%.

Tais dados fazem parte de um estudo sobre as economias das comunidades latina e afro-americana nos EUA, e que desde 2000 viram como a diferença entre seus indicadores econômicos e os da chamada "população branca" foram aumentando.

"Apesar de todos os lares americanos terem sido prejudicados pelo declive econômico do país, os hispânicos e os afro-americanos são mais vulneráveis: é mais provável que sofram primeiro e mais", garante o relatório.

Ainda segundo o estudo, a década de 1990 foi frutífera para ambas as comunidades, porque tanto latinos como afro-americanos apresentaram alta em vários indicadores econômicos que os aproximaram dos padrões vividos pela população branca.

Representando o grupo de estudos, Christian Weller declarou hoje em entrevista coletiva que a atual situação econômica do país reporta "uma maior insegurança para as minorias que para o resto da população". EFE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG