Mais de 17.000 ex-agentes da Stasi são funcionários públicos

Mais de 17.000 funcionários das administrações regionais da antiga Alemanha Oriental (RDA, República Democrática da Alemanha) são ex-colaboradores da Stasi, a polícia política do antigo regime comunista, segundo uma reportagem do jornal Financial Times Deutschland (FTD).

AFP |

Apesar de uma lei adotada em 1991 que previa a verificação do passado dos funcionários por parte das administrações, os Länder (estados federados) investigados se mostraram tolerantes e mantiveram em seus serviços uma quantidade considerável de ex-informantes da Stasi.

Segundo o sociólogo e cientista político Klaus Schroder, que dirige um departamento de pesquisas sobre o antigo regime da RDA na Universidade Livre de Berlim, o número de ex-informantes ainda presentes nas administrações seria "de dezenas de milhares".

"Tem uma dimensão que ninguém havia suspeitado até agora", declarou ao FTD.

O jornal estabeleceu que 4.400 ex-informantes da Stasi ainda são funcionários na Saxônia-Anhalt, 2.942 em Brandeburgo e 2.733 em Berlim.

"Muitos foram contabilizados como informantes, mas já não estavam na ativa", justificou Michael Beleites, diretor de expediente do governo regional da Saxônia.

ab/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG