Mais de 1.600 pessoas morreram de cólera no Zimbábue, diz OMS

GENEBRA - O número de infecções e mortes por cólera no Zimbábue não mostra sinais de desaceleração, informou a Organização Mundial de Saúde (OMS) nesta terça-feira. Segundo a OMS, 1.608 pessoas morreram vítimas da doença - que poderia ser controlada com certa facilidade se o saneamento público do Zimbábue e os serviços de saúde não fossem precários. Foram registrados 30.365 casos.

Reuters |

O porta-voz da OMS, Gregory Hartl, disse que os números de para 29 de dezembro mostram um avanço de 44 mortes e de 1.200 casos de cólera ante o dia anterior --uma taxa que vinha se mantendo estável nas últimas semanas. A epidemia começou em agosto.

"As infecções ainda estão aumentando e, com a chegada da temporada de chuva, a situação pode piorar", disse ele.

Na semana passada, a OMS e autoridades da Cruz Vermelha disseram que a movimentação de pessoas que foram visitar seus familiares durante o feriado de Natal pode ter ajudado a propagar a doença, que está afetando todas as 10 províncias do país.

    Leia tudo sobre: zimbábue

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG