O ex-presidente de fato Reynaldo Bignone e outros cem militares acusados de crimes contra a humanidade cometidos durante a ditadura argentina (1976-1983) serão julgados este ano, segundo divulgou um relatório da justiça argentina neste domingo.

Com este número, o total de acusados desse período levados a julgamento será de 257, enquanto que 41 repressores já foram condenados.

O informe foi elaborado pela Unidade Fiscal de Coordenação e Acompanhamento das Causas por Violações aos Direitos Humanos, subordinada à Procuradoria Geral da Nações.

Estes dados são divulgados num momento em que se renovam as reclamações dos órgãos de direitos humnanos e da própria presidente da Argentina, Cristina Kirchner, para que a justiça acelere o tratamento desses casos.

Dos 101 repressores que serão julgados, 81 serão colocados no banco dos réus pela primeira vez enquanto que 20 já têm julgamento em andamento e já foram condenados em outros processos.

rq/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.