Mais de 100 pessoas são presas no 1º de Maio chileno

Pelo menos 100 manifestantes foram detidos nesta quinta-feira, no Chile, após os confrontos generalizados no final de um ato pelo Dia dos Trabalhadores e que reuniu mais de 20.000 pessoas no centro de Santiago, de acordo com um balanço oficial.

AFP |

O subsecretário do Interior, Felipe Harboe, disse que os choques entre manifestantes e a polícia deixaram 96 detidos.

Os incidentes começaram no final de um comício da Central Única dos Trabalhadores (CUT), no centro da capital. O ato contou com a presença do ministro do Trabalho, Osvaldo Andrade, e do presidente da CUT, Arturo Martínez, entre outros dirigentes.

Um grupo de encapuzados atacou uma agência bancária com pedras e outros objetos, o que obrigou o contingente policial a usar gás lacrimogêneo e jatos d'água.

Em seguida, novos confrontos levaram à interrupção do trânsito na Alameda Bernardo O`Higgins, a principal do centro de Santiago.

Em seu discurso, o presidente da CUT pediu ao governo e aos empresários que melhorem as condições dos trabalhadores.

db/tt

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG