CABUL, Afeganistão (Reuters) - Mais de cem homicidas, estupradores e sequestradores condenados estão no corredor da morte no Afeganistão, esperando que o presidente Hamid Karzai assine as ordens de execução deles, afirmou na terça-feira um importante juiz do país. Crimes como os de sequestro, estupro e assassinato tornaram-se muito mais comuns nos últimos anos, no Afeganistão, onde o Taliban, derrubado do poder durante uma invasão comandada pelos Estados Unidos em 2001, executava publicamente os responsáveis por infrações do tipo.

Cinco pessoas foram executadas desde sábado depois de Karzai ter aprovado as sentenças delas. O presidente agiu em meio a apelos de cidadãos comuns do Afeganistão que defendem a adoção de punições rígidas conforme as previstas na Constituição do país e ordenadas pelo Islã.

"Temos 125 pessoas que foram condenadas por várias cortes à pena de morte e que devem ser executadas depois da aprovação de Karzai", disse um juiz da Suprema Corte, que não quis ter sua identidade revelada.

Um funcionário do palácio presidencial confirmou que as listas com o nome dos condenados à morte pelas cortes haviam sido enviadas ao presidente a fim de que Karzai autorizasse a execução deles.

(Por Sayed Salahuddin)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.