Mais de 1 mil são presos em manifestação na Malásia

Polícia deteve 1.401 opositores que pediam eleições transparentes no país governado há 65 anos pela mesma coalizão

iG São Paulo |

Mais de 1,4 mil pessoas foram detidas neste sábado em Kuala Lumpur, capital da Malásia, durante uma grande manifestação que pedia reformas eleitorais e transparência, anunciou o chefe da polícia local.

"Na reunião ilegal, a polícia prendeu 1.401 pessoas e estamos investigando os indíviduos detidos, principalmente pelo fato de realizar uma reunião ilegal", afirmou o chefe da polícia, Ismail Omar.

EFE
Polícia dispara gás lacrimogêneo contra manifestantes na capital Kuala Lumpur
Segundo eles, os manifestantes foram detidos porque "os organizadores rejeitaram a oferta de realizar a manifestação em um local mais adequado", fora da capital.

Para reprimir os protestos, a polícia lançou gases lacrimogêneos contra cerca de 2 mil manifestantes congregados na Praça Merdeka.

O líder opositor Anwar Ibrahim sofreu contusões na cabeça e um corte na perna depois que a polícia dispersou a manifestação, anunciada há várias semanas e convocada por 60 organizações reunidas sob a bandeira Bersih 2.0 ("limpo", em malaio), com apoio dos partidos de oposição.

Regras

Na Malásia, as manifestações são ilegais se não contarem com a permissão das autoridades. Nas últimas semanas, a polícia deteve 150 ativistas do Bersih, dos quais 30 permanecem presos e 91 foram expulsos de Kuala Lumpur.

A Malásia é governada pela mesma aliança de partidos desde a independência, em 1965, e o primeiro-ministro sempre foi da Organização Nacional para a Unidade Malaia (UNMO).

*Com AFP

    Leia tudo sobre: malásiaprotestospresos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG