Maioria dos parlamentares mauritanos anuncia apoio a golpe de Estado

Nuakchott, 13 ago (EFE).- A maioria dos deputados e senadores da Mauritânia manifestou hoje seu apoio ao golpe de Estado dado no último dia 6 por uma Junta Militar, considerado por esses legisladores uma mudança que atende aos interesses do povo.

EFE |

Em um encontro com a imprensa ocorrido nesta quarta-feira em Nuakchott, 66 deputados (dos 95 que integram a Assembléia Nacional) e 39 senadores (de 57) apresentaram uma declaração de apoio ao levante militar, capitaneado pelo general Mohammed Abdelaziz.

"Tomamos nota da retificação relativa ao desbloqueio do funcionamento normal das instituições constitucionais", diz a declaração, em referência ao decreto constitucional baixado ontem pela Junta Militar.

Na nota, os parlamentares convidaram os militares a "cooperarem plenamente com as instituições democraticamente eleitas, e, particularmente, com o Parlamento".

Na declaração, os legisladores lembraram o "contexto de crise política e institucional aguda" decorrente" da "obstrução sistemática do funcionamento da instituição parlamentar por práticas anticonstitucionais do ex-presidente da República (em alusão ao deposto Mohamed Ould Sidi Ould Cheikh Abdallahi) e de seu Governo".

"Lamentamos que todas as gestões empreendidas pelos parlamentares e as pessoas de boa vontade não tenham conseguido reduzir a obstinação do antigo presidente, que não ouvia mais que a seus cortesãos", diz o texto.

Os deputados e senadores aproveitaram para fazer um "apelo urgente" para que a sociedade os apóie em seus trabalhos para "estabilizar o país e fazer frente aos desafios da democracia e do desenvolvimento". EFE mo/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG