GENEBRA (Reuters) - A maior parte dos doentes com a gripe H1N1 não precisa de terapia com antivirais para se recuperar, mas uma vacina para a nova cepa é necessária para o caso de ela se tornar resistente às drogas disponíveis, disse uma especialista da Organização Mundial da Saúde nesta terça-feira. Nikki Shindo, médica no programa global de gripe da OMS, disse a jornalista que cerca de 10 por cento das pessoas sabidamente infectadas com a doença no México e nos Estados Unidos precisaram de internação -- muito mais do que o que ocorre com a gripe convencional.

"Eu acho que isso certamente induz ao desenvolvimento e à distribuição de uma vacina contra a influenza", disse ela em uma coletiva de imprensa.

"Nós também estamos enfrentando o risco de ter viroses resistentes", afirmou, destacando que medicamentos antivirais como o Tamiflu e o Relenza têm eficiência variável contra os vírus, uma vez que eles sofrem mutações.

"Posto que nós teremos um inverno nos países sul-americanos e também em outras partes do hemisfério sul, haverá o risco de acontecer viroses que serão altamente resistentes aos antivirais", afirmou.

(Reportagem de Laura MacInnis e Stephanie Nebehay)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.