MADRI (Reuters) - A maioria dos catalães votariam a favor da independência da Espanha se um referendo fosse realizado sobre o assunto, de acordo com uma pesquisa publicada nesta sexta-feira mostrando mais apoio ao separatismo do que outras sondagens. A pesquisa, cujos patrocinadores disseram ser mais abrangente que as anteriores, vem no momento em que ativistas pró-independência aumentaram a campanha para um referendo de independência na rica região do nordeste da Espanha.

Com as eleições regionais marcadas para a segunda metade deste ano, um aumento do nacionalismo catalão seria uma dor-de-cabeça para o primeiro-ministro espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, que luta para convencer os mercados de dívida de que o país pode colocar suas finanças em ordem.

De acordo com a pesquisa, conduzida para a Universidade Aberta da Catalunha pela empresa privada DYM, ouvindo com 1.883 espanhóis catalães e 2.614 espanhóis não-catalães no final do ano passado, 50,4 por cento das pessoas da região votariam a favor da independência se houvesse oportunidade.

Dezoito por cento disseram que votariam contra a independência da Catalunha, que tem sua própria cultura e língua, e 25 por cento iriam se abster.

Sob a lei espanhola, a Catalunha seria proibida de organizar um referendo, mesmo se o governo autônomo da região, baseado em Barcelona, quisesse organizar um. Qualquer plano de um referendo enfrentaria forte oposição de Madri.

Ativistas pró-independência têm realizado simulações de referendo em cidades catalãs, com quantidade surpreendente de votos a favor da região deixar de fazer parte da Espanha, mas eles representam somente cerca de 30 por cento do eleitorado. Os ativistas pretendem pressionar os partidos políticos catalães para apoiarem um referendo.

Muitos catalães ressentem o tratamento recebido durante a ditadura de Francisco Franco, entre 1939 e 1975, que proibiu o uso de sua língua em público.

(Reportagem de Jason Webb)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.