Maior opositor de Kirchner é intimado na Argentina

Uma intimação judicial num processo por narcotráfico e suspeitas de enriquecimento ilícito envolviam nesta segunda-feira o magnata Francisco de Narváez, principal candidato da oposição na província de Buenos Aires, a 20 dias das eleições legislativas na Argentina.

AFP |

De Narváez, que lidera a chapa da coalizão de direita Unión-Pro na província de Buenos Aires, distrito que possui quase 40% do eleitorado, assegurou que seu suposto envolvimento faz parte de "uma manobra do governismo".

"É inédito e obsceno que isto aconteça a 20 dias das eleições e com a pessoa com condições de vitória sobre (o ex-presidente Néstor) Kirchner no dia 28 de junho. Não tenho dúvidas de que o caso esteja sendo utilizado. Vou recusar a intimação", disse De Narváez.

O ex-presidente Kirchner (2003/2007), marido da atual presidente Cristina Kirchner e candidato a deputado pelo peronismo (partido no poder), pediu, no entanto, a seu adversário "dar um exemplo cívico, antes de se apresentar como vítima".

Segundo fontes judiciais, o empresário será intimado nesta quarta-feira , como suspeito, pelo juiz Federico Faggionato Márquez, que investiga o tráfico de efedrina ao México e um caso de contrabando milionário de discos e filmes.

De Narváez, nascido na Colômbia há 55 anos e deputado desde 2005, havia sido citado como testemunha mês passado: de um telefone celular em seu nome foram dados quatro telefonemas a Mario Segovia, conhecido como o 'Rei da Efedrina'.

Mas o magnata, dono, entre outras empresas, de um canal de televisão e aliado do prefeito portenho de direita, Mauricio Macri, está sendo investigado, além disso, por um suposto incremento patrimonial não justificado.

De Narváez registrou em suas declarações patrimoniais um incremento de quase 900% entre 2004 e 2008, de acordo com um informe da Administração Federal de Rendimentos Públicos (AFIP) pedido por um fiscal de Mar del Plata (400 km ao sul).

Este aumento de patrimonio surgiria de rendimentos isentos de impostos provenientes de propriedades no exterior.

Kirchner e De Narváez competem na provincia de Buenos Aires.

Quase todas as pesquisas antecipam uma vitória de Kirchner, com até 8,5 pontos percentuais de vantagem, mas o instituto Poliarquía anunciou nesta segunda-feira a vitória de De Narváez, com três pontos percentuais à frente.

Em nível nacional, o kirchnerismo tem vantagem nas pesquisas, mas poderá perder a maioria na Câmara de Deputados, que renova a metade de suas vagas, conservando a duras penas o controle do Senado, que será renovado em um terço.

ls/dm/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG