Maior aeroporto da França cancela metade dos voos matutinos

Falta de líquido anticongelante e previsão de baixas temperaturas forçam Roissy-Charles de Gaulle a tomar medida até as 10h

iG São Paulo |

A Aviação Civil francesa anunciou nesta sexta-feira o cancelamento da metade dos voos previstos antes das 13 horas (10h de Brasília) no aeroporto Roissy-Charles de Gaulle, o principal do país, por causa da escassez de líquido anticongelante. A decisão foi tomada por causa das baixas temperaturas previstas no aeroporto para esta manhã, indicou a Aviação Civil em comunicado.

Os problemas registrados nas estradas francesas, onde se proibiu a circulação de caminhões, prejudicou o abastecimento de líquido para descongelar os aviões, acrescentou a nota. Por causa disso, a Aviação Civil decidiu pedir às companhias aéreas que suspendessem metade dos voos matutinos.

Nos outros dos aeroportos da França não se preveem problemas, pois os serviços meteorológicos não esperam neve para esta sexta-feira na França. 

O serviço de Aeroportos de Paris (ADP) previu que pelo menos 60 voos que partem de Roissy na noite desta quinta-feira e madrugada de sexta sofrerão atraso nesta véspera de Natal. Os voos sofrem "atrasos de várias horas por causa do descongelamento mais lento, longo e difícil em razão da neve muito pegajosa e pesada", disse uma porta-voz da ADP.

"Não descartamos o risco de que alguns passageiros passem a noite no aeroporto, mas faremos todo o possível para que um máximo de voos partam nas próximas horas. Temos consciência do que significa a véspera do Natal, de que as pessoas querem se reunir com suas famílias."

Ao menos 2 mil pessoas estavam bloqueadas na madrugada desta sexta-feira no Roissy por causa do cancelamento dos voos, onde a Defesa Civil instalou camas de campanha, disse à AFP a ministra francesa dos Transportes e Ecologia, Nathalie Kosciusko-Morizet.

"Houve 58 voos anulados durante a tarde, principalmente por causa ao descongelamento" dos aviões, que agora leva mais do dobro do tempo previsto pela neve pesada e pegajosa. Esses "58 voos representam de 6 mil a 7 mil passageiros", dos quais 2 mil "ainda estão nos terminais", disse Kosciusko-Morizet após visitar o aeroporto de Roissy, o terceiro da Europa.

"Uma avaliação geral" da situação aponta que dos 6 a 7 mil passageiros que não conseguiram voar nesta quinta-feira, ao menos a metade também não conseguirá voar no sábado", previu a ministra dos Transportes.

Problemas na Bélgica

As grandes nevascas registradas nas últimas horas voltaram a causar contratempos na Bélgica, onde houve enormes dificuldades nos transportes aéreo, rodoviário e ferroviário. O aeroporto de Bruxelas-Charleroi só retomou as operações na manhã desta sexta-feira, após ser obrigado a fechar na noite de quinta-feira pelas condições meteorológicas.

Ao todo, 18 voos foram cancelados, deixando mais de 2 mil passageiros na espera, dos quais centenas passaram a noite no saguão, segundo a imprensa local. "O aeroporto foi reaberto, mas isso não quer dizer que todos os voos vão decolar. Aconselhamos aos clientes que consultem o site do aeroporto antes de sair", disse um porta-voz do aeroporto à agência de notícias "Belga".

O aeroporto de Liège, que nesta quinta-feira se viu obrigado a fechar durante várias horas, foi reaberto nesta sexta-feira e a ele foram desviados alguns dos voos que não puderam pousar em Charleroi.

No aeroporto internacional de Bruxelas continuam sendo registrados vários cancelamentos e atrasos por causa do mau tempo, embora já se tenha solucionado o problema de falta de líquido anticongelante, que impediu a normalidade nesta semana.

Já as rodovias belgas enfrentam grandes dificuldades, especialmente na parte central e meridional do país, onde continua nevando. Os ônibus não circulam na Valônia, em Bruxelas e em grande parte de Flandres e a rede viária acumula mais de 500 quilômetros de congestionamentos, mas a normalidade vai sendo recuperada pouco a pouco.

Várias estradas continuam interditadas. Em muitas áreas, foi proibida a circulação de caminhões, que durante a noite bloquearam algumas importantes artérias como a principal estrada que conecta Bélgica a Luxemburgo. Os trens circulam no país, mas com numerosos atrasos e cancelamentos por causa da neve.

Na Alemanha, o tráfego ferroviário foi interrompido no norte do país, após as precipitações de neve e chuva que caíram durante a noite e forçaram a retirada de centenas de passageiros bloqueados em vários trens entre Berlim e Hannover.

A companhia de ferrovias Deutsche Bahn se viu obrigada a paralisar completamente a linha entre a capital e Hannover - norte do país -, uma das principais artérias ferroviárias da Alemanha. Cinco trens tiveram de ser rebocados até as estações correspondentes mais próximas para a retirada as centenas de passageiros que tinham ficado bloqueados no interior.

*Com EFE a EFP

    Leia tudo sobre: neveeuropacaos aéreofrançabélgicaalemanha

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG