Mahmoud Abbas envia força ao norte da Cisjordânia

Por Adam Entous e Wael al-Ahmed JENIN, Cisjordânia (Reuters) - Centenas de membros das forças leais ao presidente palestino Mahmoud Abbas se deslocaram à cidade de Jenin, no norte da Cisjordânia, no sábado, para participar de uma campanha de lei e ordem que visa mostrar que o governo está armando as bases para a criação do Estado palestino.

Reuters |

Numa campanha batizada de 'Operação Sorriso e Esperança', jipes e ônibus levaram até 600 membros das forças de segurança a Jenin, num esforço coordenado com Israel. Outros 150 homens que já se encontram em Jenin, cidade que há anos é reduto de militância, vão unir-se a eles.

Washington, cujos esforços para conseguir um acordo para a criação de um Estado palestino ainda este ano não têm visto sinais de avanço, vê Jenin como uma oportunidade para Abbas provar que é capaz de refrear os militantes. Essa é a condição principal exigida por Israel para a implementação de um acordo de paz.

'Este é nosso país, é nossa terra, e, até criarmos nosso próprio Estado, faremos nosso trabalho independentemente do que Israel venha a fazer', disse a jornalistas em Jenin o chefe da força de segurança nacional na Cisjordânia, o general Diyab al Ali.

Uma campanha de segurança semelhante lançada no ano passado em Nablus foi prejudicada por incursões do Exército israelense e restrições ao deslocamento de pessoas, e, embora as autoridades ocidentais esperem que o Estado judaico se mostre mais cooperativo em Jenin, Ali disse que não recebeu garantias de Israel.

O governo israelense já declarou que 'a responsabilidade última pela segurança vai permanecer nas mãos de Israel'.

Um alto funcionário de segurança palestino disse que as forças vão visar criminosos como ladrões de carros e que elas têm ordens de confiscar armas ilegais. Mas ele não chegou a afirmar explicitamente que a campanha vai combater militantes.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG