Magnata do petróleo texano faz campanha pelo uso da energia eólica

O magnata do petróleo americano T. Boone Pickens, ex-proprietário da companhia Mesa Petroleum, lançou nesta semana uma grande campanha em favor da energia eólica.

AFP |

O empresário texano de 80 anos pagou propagandas de páginas inteiras nos jornais para anunciar ao público seu "Plano Pickens".

O plano tem como ambição reduzir a dependência americana do petróleo e aumentar a produção de energia eólica para assim cobrir os 20% das necessidades de eletricidade do país.

Ele também defende, através da internet e outras mídias convencionais, o uso do gás natural como combustível para automóveis, o que permitiria aos Estados Unidos reduzir um terço de suas importações de petróleo e economizar mais de 230 bilhões de dólares por ano.

"Faço uma apelo ao próximo presidente e ao Congreso para que tomem decisões imediatas nos primeiros cem dias do novo governo para que este plano se torne realidade", declara Pickens nos sites de relacionamento on-line Facebook e MySpace.

"Pedimos ao público americano que apóie este plano e que nos ajude a reduzir nossa perigosa dependência do petróleo estrangeiro. Isso deve ser a prioridade número um do país a partir deste dia".

Pickens, que atualmente dirige seu próprio fundo de investimento BP Capital Management, regularmente expõe suas idéias sobre a evolução do mercado de petróleo nas cadeias de informação financeiras.

Mas sua nova estratégia não é 'retórica cheia de vento': o multimilionário investiu seu próprio dinheiro num projeto de fazenda eólica no Texas, apresentada como a mais importante do mundo, e com uma potência projetada de 4.000 megavatts.

Em apoio a sua iniciativa, Pickens cita um relatório do departamento de Energia americano que calcula que 20% da eletricidade do país pode ser produzida nesse seu "corredor de vento", uma ampla extensão que vai do oeste de Texas até a fronteira com o Canadá.

A conversão eólica de Pickens - aliado fiel do presidente George W. Bush - tem sido motivo de elogios dos movimentos ecologistas.

"Não há dúvidas de que ele é capaz de atrair um público que é partidário de energias verdes", reconheceu Carl Pope, diretor executivo da associação ecológica Sierra Club.

O diretor da Associação de Energia Eólica dos Estados Unidos, Randall Swisher, estima, por sua parte, que a campanha de Pickens mostra que a eletricidade produzida pelo vento se tornou uma "opção chave" para o país.

"Para que isso possa começar, no entanto, é necessário que o governo americano faça sua parte. Uma prioridade imediata e crítica é prolongar os benefícios fiscais da produção de eletricidade eólica para que a indústria possa avançar com os investimentos previstos e manter seus empregados com trabalho", destacou Swisher.

rl/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG