Roma, 4 jun (EFE).- O Tribunal de Catânia, no sul da Itália, concedeu prisão domiciliar a um chefe mafioso porque ele estaria deprimido e precisaria do apoio da família, informou hoje o diário Corriere della Sera.

Trata-se de Giacomo "Nucio" Ieni, de 52 anos, que estava sob o regime 41 Bis, conhecido como de "prisão dura", que impede qualquer contato com o exterior aos grandes chefes da máfia presos.

Ieni chorou na última audiência de um dos processos no qual se viu implicado e assegurou que não suportava mais a prisão.

Um de seus advogados, Giuseppe Lipera, explicou que Ieni emagreceu mais de 20 quilos e que na prisão acabaria morrendo.

A Promotoria anunciou que apresentará um recurso contra a sentença emitida pelo Tribunal de Catânia.

A longa ficha criminal de Ieni se remonta aos anos 80, quando foi acusado de extorsão de uma empresa de reestruturações.

Em 2006, foi detido acusado de ser o regente do clã mafioso dos Pillera, ligados à Cosa Nostra, a máfia siciliana. EFE ebp/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.