Máfia italiana usa Brasil para enviar cocaína à Europa, diz pesquisa

Lima, 24 abr (EFE).- A cocaína sul-americana é traficada à Europa pela máfia italiana Ndrangheta a partir de Brasil e da Argentina e através do litoral oeste africano, denunciou hoje o responsável antidroga equatoriano, Domingo Paredes, em reunião em Lima da Comunidade Andina de Nações (CAN) e da União Europeia (UE).

EFE |

Já o responsável peruano para drogas, Rómulo Pizarro, informou que o país se preocupa com o tráfico de entorpecentes para a Europa via Brasil e Argentina.

Segundo ele, as máfias oferecem aos latino-americanos uma média de US$ 1.500 para transportar as drogas à Europa, enquanto os europeus recebem 6 mil euros (US$ 8 mil), destacou Pizarro.

"A máfia internacional calabresa 'Ndrangheta está controlando o tráfico a partir do Chile e da Argentina em direção à Europa", disse à Agência Efe Paredes, secretário-executivo do Conselho Nacional de Entorpecentes e Psicotrópicos (Consep) do Equador.

Paredes explicou que diferentes cartéis, como os mexicanos, colombianos e peruanos, atuam há anos na América Latina, mas que, agora, estas máfias estão afiançando ainda mais as alianças com os pares europeus.

Para combater o consumo de drogas sintéticas especialmente entre os jovens, os países da CAN - Bolívia, Colômbia, Equador e Peru - assinaram hoje convênios com a União Europeia (UE) no valor de 243 mil euros, e iniciaram investigações sobre o consumo e o impacto ambiental dos entorpecentes na região. EFE wat/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG