Mãe que aplicou injeção letal no filho pega prisão perpétua no R.Unido

Londres - Uma mãe britânica que injetou por compaixão uma dose letal de heroína em seu filho, que sofria de uma lesão cerebral irreversível, foi condenada em Londres a prisão perpétua.

EFE |

Frances Inglis, de 57 anos, justificou sua ação explicando que sentia que não tinha mais remédio para libertar seu filho, Thomas, do "inferno em vida" que vivia (estado vegetativo).

A mulher, mãe de três filhos, estava em liberdade condicional após ter tentado matar Thomas quando, em novembro de 2008, entrou no hospital onde ele estava usando uma identidade falsa.

A mulher admitiu o fato, mas garante que tinha agido unicamente por compaixão.

Na quarta-feira, os membros do júri a consideraram culpada. O juiz, Brian Barker, disse que, independente de sua intenção, tratava-se de um assassinato.

O filho mais velho de Frances, Alex, de 26 anos, defendeu a mãe e disse que ela tinha agido "por amor" em relação a seu irmão.

"Toda a família e a namorada de Tom apoia totalmente a minha mãe.

Todos os que o amavam não consideram que houve um assassinato, mas um valente ato de amor", afirmou Alex.

Thomas Inglis sofreu graves lesões cerebrais após saltar em julho de 2008 de uma ambulância e bater a cabeça no chão. Ele tinha participado de uma briga em um bar e machucado os lábios, mas não queria ser levado ao hospital.

Ultimamente tinha mostrado sinais de melhora, mas seguia precisando de cuidados contínuos e sua mãe, que estava se formando como enfermeira, não confiou na previsão encorajadora de um dos médicos.

Leia mais sobre: injeção letal

    Leia tudo sobre: londres

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG