Mãe guardiã é acusada de matar bebê com chupeta grudada na boca

Uma mãe adotiva está sendo acusada de ter matado um bebê de 9 meses por asfixia após prender uma chupeta em sua boca com um esparadrapo. Angela Deniece Dukes, de 30 anos, é enfermeira e trabalhava na unidade neonatal do hospital Palmeto Health Richland, no condado de Richland, no Estado americano da Carolina do Sul.

BBC Brasil |

De acordo com o jornal local Boston Herald, Dukes foi presa na quarta-feira depois que uma investigação policial concluiu que o bebê Curtis Williams havia morrido asfixiado no dia 8 de fevereiro.

A mulher confessou ter colado a chupeta da boca do menino para que ela "ficasse no lugar", acrescentou o jornal.

Angela Dukes tinha uma licença para cuidar de crianças sob custódia da Justiça em sua própria casa e havia recebido Curtis um dia antes de sua morte. A mãe biológica do menino havia sido presa horas antes, após ser encontrada drogada pela polícia em quarto de hotel.

O legista Clay Nichos disse ter ficado chocado ao constatar a causa da morte. Ele comparou o gesto da mãe adotiva ao de "tapar a cabeça de uma criança com uma sacola de plástico". Dukes perdeu a licença de mãe adotiva e aguarda julgamento.


Leia mais sobre violência

    Leia tudo sobre: violenciaviolência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG