Um tribunal em Dayton, no Estado americano de Ohio, condenou uma mulher por matar sua filha de um mês ao colocá-la dentro de um forno de microondas. China Arnold, de 28 anos, não demonstrou emoção quando o júri anunciou o veredicto, limitando-se a baixar o olhar.

Segundo a promotoria, Arnold matou a filha, Paris Talley, em 2005, depois de uma briga com o namorado.

Na terça-feira, o tribunal decidirá se ela deve enfrentar a pena de morte.

A polícia disse que o bebê sofreu graves queimaduras internas mas seu corpo não apresentava marcas externas.

DNA
Os promotores do caso disseram que foi encontrado DNA do bebê dentro do forno de microondas do apartamento de Arnold.

A companheira de cela da ré disse no tribunal que Arnold confessou para ela que colocou a filha dentro do microondas e ligou a máquina, porque temia que o namorado a deixase se descobrisse que não era o pai da criança.

Os advogados de defesa afirmaram que há evidências de que outra pessoa tenha sido responsável pela morte do bebê.

Um menino de oito anos testemunhou que viu um outro garoto entrar na cozinha de um apartamento próximo de sua casa, ouviu o microondas ser ligado e depois viu o bebê queimado dentro do forno.

Mas a mãe da suposta testemunha afirmou que sua casa fica longe do apartamento onde o bebê morreu e que não estavam no conjunto habitacional onde Arnold vive quando Paris Talley morreu.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.