Mãe denuncia que filha foi seqüestrada por freiras de convento peruano

Lima, 3 ago (EFE).- Uma mãe peruana denuncia que as freiras do convento de Santa Rosa de Lima seqüestraram sua filha de 18 anos, dançarina folclórica, e a mantêm retida para que adote a religião, publicou hoje o jornal La República.

EFE |

Esther García, mãe de Diana Montes, exigiu ontem diante do convento de Santa Rosa, no centro histórico da capital peruana, a libertação de sua filha, que segundo ela, permanece trancada lá "contra sua vontade" desde 5 de julho.

Segundo o jornal, a versão da mãe também foi defendida por amigas da jovem, que declararam à imprensa que nesse dia acompanharam Diana ao convento para saber mais sobre a vida no interior do local quando uma freira trancou a dançarina em um quarto.

Em declarações ao jornal "Peru 21", a mãe de Diana denunciou, além disso, que sua filha é deficiente mental e que isso teria impedido que a menina reagisse.

"Tem uma idade mental de 13 anos, estão abusando dela. Tenho provas e fotos obscenas nas quais aparece com os seios descobertos e junto a uma freira com roupas de banho", afirmou.

No entanto, a jovem disse ao jornal "La República" que está no convento por sua própria vontade e lamentou que sua mãe não entenda a decisão que tomou.

"É um estilo de vida que eu gosto. Sinto-me tranqüila e quero esclarecer que não me pressionaram para entrar aqui. Em qualquer momento posso ir, embora ainda não seja o momento", afirmou.

O mosteiro de Santa Rosa de Lima é um dos mais antigos da capital peruana e foi construído nos séculos XVII e XVIII. EFE amr/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG