Mãe de Michael Jackson obtém guarda definitiva dos netos

A Corte Superior de Los Angeles concedeu nesta segunda-feira à mãe de Michael Jackson, de 79 anos, a guarda definitiva dos três filhos do cantor, apesar de uma petição surpreendente apresentada pelo dermatologista de Jackson, que queria ser ouvido no capítulo sobre a custódia das crianças.

AFP |

Katherine Jackson, 79 anos, já havia obtido a guarda provisória de Prince Michael (12 anos), Paris (11 anos) e Prince Michael II (7 anos) após a morte do "Rei do Pop" no dia 25 de junho, e não escondeu que desejava a guarda definitiva das crianças.

A concessão dos cuidados com os filhos de Michael Jackson a Katherine estava entre as últimas determinações incluídas no testamento do cantor.

Segundo os termos de um acordo recente feito semana passada, com a mãe biológica dos dois mais velhos, Debbie Rowe, revelado pelos representantes das duas partes em comunicado comum, os filhos do ídolo viverão na casa da avó, Katherine Jackson, 79 anos.

Rowe, que desistiu de pedir a guarda, obteve um direito de visita, com "modalidades" a serem determinadas com a ajuda de um psicólogo infantil.

Deborah Rowe é a mãe de Prince Michael e Paris. O mais novo, Prince Michael II é filho de uma mãe de aluguel, com identidade nunca revelada.

Rowe, que havia anunciado após a morte de Jackson que pretendia brigar pela guarda das crianças, não obterá mais dinheiro que o estipulado no acordo já assinado, diz o comunicado. Segundo a imprensa, o acordo envolveria 8,5 milhões de dólares.

Em 29 de junho, a mesma corte entregara a Katherine Jackson a guarda provisória dos três filhos do Rei do Pop.

"A senhora Jackson e a família estão felizes com a resolução do problema, tratado com cortesia e dignidade pelas partes e seus representantes", disseram os advogados do clã Jackson, Londell McMillan e Diane Goodman.

"Quero meus filhos", afirmara a ex-enfermeira no início de julho em conversa por telefone com a rede americana NBC. "Devo assumir minhas responsabilidades", acrescentara.

Debbie Rowe, que foi a enfermeira do dermatologista de Michael Jackson, ressaltou então que estava disposta a se submeter a todos os testes necessários, inclusive de DNA, para provar que era, de fato, a mãe de Prince Michael e Paris.

Rowe foi a segunda esposa de Jackson, com quem se casou em 1996, quando tinha 37 anos. O divórcio ocorreu em 1999.

A audiência, no entanto, foi tumultuada com a intervenção não esperada do advogado de Arnold Klein, o dermatologista de Michael Jackson, que reclamou para seu cliente o direito à voz em relação à custódia das crianças.

Segundo o advogado, a demanda havia sido motivada por uma "longa relação com as crianças e com Jackson", precisando que Klein não era "o pai presumível" dos menores.

Pouco após a morte do cantor, Arnold Klein, que tinha como secretária Debbie Rowe, havia sido ouvido várias vezes sobre os rumores que o apontavam como o pai biológico de Prince e Paris.

"Ao que saiba, não sou o pai das crianças", havia declarado Klein à CNN.

O juiz Mitchell Beckloff rejeitou examinar a demanda do dermatologista, considerando que neste assunto, não era "nada mais que um amigo preocupado" com o destino dos meninos.

O juiz também concedeu pensão mensal a Katherine Jackson e às crianças, paga sobre o patrimônio deixado pelo cantor, com montante não revelado, mas que seria inferior ao que pediram os advogados de Katherine Jackson.

Uma nova audiência foi marcada para 2 de outubro para estabelecer detalhes sobre a guarda e a situação das crianças.

A audiência prosseguia no final da tarde de hoje para definir o papel que poderia desempenhar Katherine Jackson na administração dos bens de seu filho. A mãe do cantor entrou com queixa na justiça por ter sido mantida à margem da administração da herança.

rr/yw/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG