Mãe de Madeleine critica agência de viagens onde comprou pacote de férias

Londres, 23 abr (EFE).- A mãe de Madeleine McCann, a menina britânica de três anos desaparecida em maio de 2007 no sul de Portugal, criticou a agência de viagens Mark Warner, onde comprou o pacote de férias, por não oferecer o serviço de babá eletrônica, informou o tablóide Evening Standard.

EFE |

Em um especial de televisão que será exibido na quarta-feira na rede de televisão "ITV", Kate McCann afirma, segundo o tablóide: "Queríamos contratar a babá eletrônica para as crianças pequenas, mas não havia nenhum disponível do Ocean Club", na Praia da Luz, onde passava o verão com o marido, Gerry, e os três filhos.

Segundo fontes que tiveram acesso ao vídeo, apesar das críticas à agência de viagens, a mãe de Madeleine deixa bem claro que a culpa do desaparecimento da filha é do seqüestrador, do qual não se tem notícia.

Kate e Gerry, ambos médicos, estão convencidos de que sua filha foi seqüestrada, mas para a Polícia portuguesa os dois ainda são suspeitos.

O informante do tablóide britânico afirma que os McCann teriam utilizado a babá eletrônica, mas acreditavam que bastava passar no apartamento a cada 25 minutos onde seus filhos dormiam enquanto jantavam tranqüilamente com amigos no bar do Ocean Club.

Uma equipe de televisão dirigida por Emma Loach, filha do cineasta Ken Loach, seguiu os McCann durante os quase dois meses de campanha a favor de um sistema de alarme em toda a Europa que seria acionado em caso de seqüestros de crianças.

Um porta-voz da Mark Warner disse que o Ocean Club nunca teve à disposição dos clientes na Praia da Luz um serviço como o mencionado por Kate porque os apartamentos de veraneio são distantes uns dos outros, mas disse que os pais tinham, por outro lado, uma creche onde deixar os filhos pequenos. EFE jr/wr/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG