A mãe da jovem britânica Shannon Matthews, de 9 anos, que passou 24 dias desaparecida e foi encontrada escondida na casa de um tio de seu padrasto, foi acusada formalmente nesta quarta-feira de negligência e obstrução da Justiça. Shannon desapareceu no dia 19 de fevereiro, provocando uma das maiores buscas por pessoas desaparecidas da Grã-Bretanha, com a participação de mais de 200 policiais.

A mãe dela, Karen Matthews, de West Yorkshire, no norte da Inglaterra, foi presa no domingo e permanecerá detida até o próximo dia 16.

Mais de 12 policiais acompanharam a visita de Karen Matthews ao tribunal, para onde foi levada algemada nesta quarta-feira.

Segundo o porta-voz da promotoria pública, Peter Mann, depois de consideradas as evidências apresentadas no caso, a promotoria decidiu "que há evidências suficientes para acusar Karen Matthews de obstrução da Justiça e negligência".

Michael Donovan, de 39 anos, tio do namorado de Karen, Craig Meehan, é acusado de ter seqüestrado Shannon e deve ir a julgamento no dia 11 de novembro.

Donovan está preso desde que a polícia encontrou Shannon em seu apartamento, no último dia 14 de março.

A irmã do padrasto, Amanda Hyett, e sua mãe, Alice Meehan, também foram presas na sexta-feira, em conexão com o caso.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.