Madri confirma 11 casos de gripe H1N1 em quartel

MADRI (Reuters) - O Exército espanhol pôs de quarentena centenas de soldados em uma academia militar de Madri, depois que 11 deles tiveram diagnósticos confirmados da nova gripe H1N1, enquanto outros 57 continuam como casos suspeitos, disseram autoridades na sexta-feira. O esquadrão afetado é o Exército de Terra da Academia de Engenheiros de Hoyo de Manzanares, em Madri.

Reuters |

"Queremos transmitir uma mensagem de serenidade e tranquilidade porque não há motivos para alarme, mantemos a guarda", disse a vice-primeira-ministra María Teresa Fernández de la Vega a jornalistas, depois de uma reunião do gabinete.

Ela confirmou que há 11 casos positivos da doença, 9 militares hospitalizados, e 57 em observação. "Todos eles, os confirmados e os que estão em observação, são leves. É uma situação de normalidade", disse.

Mas, "por razões de segurança", as autoridades decidiram restringir os movimentos dos 459 soldados do esquadrão, mesmo que não apresentem sintomas.

O vírus H1N1, dito "da gripe suína", já contaminou mais de 11 mil pessoas em todo o mundo, provocando 85 mortes, nenhuma delas na Espanha.

Um funcionário da prefeitura de Hoyo de Manzanares confirmou que alguns estudantes visitaram a academia nesta semana, mas disse que o colégio continua aberto por enquanto. Pessoas que apresentem sintomas de gripe foram orientadas a entrar em contato com as autoridades.

O governo disse que há tentativas de determinar se algum dos soldados contaminados esteve recentemente no México, epicentro da epidemia, ou se teve contato com alguém que tenha estado nesse país.

O Ministério da Saúde elevou na sexta-feira para 126 o total de casos confirmados do H1N1 na Espanha, sendo que 31 dessas pessoas não estiveram recentemente no México. Todos os casos confirmados e suspeitos no país são considerados leves.

(Reportagem de Emma Pinedo, Ben Harding e Itzíar Reinlein)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG