Madoff pode estar negociando acordo com promotoria, diz imprensa

Nova York, 6 mar (EFE).- O financista americano Bernard Madoff, acusado de organizar uma das maiores fraudes da história, poderia estar negociando um acordo sobre sua culpabilidade com a promotoria de seu caso, informou a imprensa americana.

EFE |

A promotoria federal de Manhattan informou hoje ao tribunal que julgará o caso que "apresentará em breve documentação sobre a renúncia do acusado a seu direito de que o Grande Jurado considere seu caso".

O documento apresentado ao tribunal de Manhattan que julgará o caso também foi assinado por Ira Lee Sorkin, advogado de Madoff.

A renúncia ao direito de que um júri revise as acusações que pesam contra o financista americano poderia sugerir sua disposição a admitir a culpa de alguns crimes, indicaram hoje especialistas em várias televisões americanas.

As autoridades americanas explicaram que, no início da investigação, no ano passado, Madoff confessou ter montado uma rede para captar capital de novos investidores e pagar com esses fundos a alta rentabilidade que prometia a seus clientes.

O advogado Irving Picard, administrador legal dos bens do financista, detalhou em uma reunião no dia 20 de fevereiro que Madoff não emitiu ordens de compra de ações durante pelo menos os últimos 13 anos.

O próprio Madoff cifrou a quantia da fraude em US$ 50 bilhões, por isso que as autoridades tentam agora liquidar todos os ativos vinculados ao financeiro, que permanece sob prisão domiciliar à espera de ser julgado, para reparti-los entre seus credores.

Até o momento foram recuperados US$ 650 milhões, segundo detalhou Picard durante a reunião, na qual informou que até o momento recebeu cerca de 2.350 reivindicações de clientes de Madoff que tinham dinheiro investido com ele no momento de sua detenção que ainda não puderam recuperar. EFE vm/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG