Luxemburgo considera incompreensível atitude do G20 com paraísos fiscais

O primeiro-ministro de Luxemburgo, Jean-Claude Juncker, chamou de incompreensível a inclusão de seu país em uma lista cinza de paraísos fiscais da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômicos (OCDE), divulgada depois da reunião do G20 em Londres, e lamentou a falta de questionamento aos Estados Unidos.

AFP |

"Me parece que o tratamento reservado a alguns Estados é um pouco incompreensível", declarou Juncker antes de uma reunião do fórum de ministros das Finanças da zona euro (Eurogrupo).

Depois da reunião do G20, a OCDE divulgou duas listas de países considerados paraísos fiscais: uma negra com quatro nações (Uruguai, Costa Rica, Malásia e Filipinas) e outra cinza com 38 países, entre eles Suíça, Liechtenstein e Chile.

"Observo que países como os Estados Unidos não figuram nas listas da OCDE", disse Juncker, que na terça-feira já havia citado os estados americanos de Delaware, Wyoming e Nevada como paraísos fiscais.

slb-ylf/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG