Podgórica, 27 abr (EFE).- O Tribunal de Podgorica condenou hoje a 30 anos de prisão o ex-lutador de caratê Damir Mandic por cumplicidade na morte a tiros de Dusko Jovanovic, editor e diretor do jornal Dan, em 2004, na capital de Montenegro.

Mandic foi condenado após um novo processo judicial pelo homicídio premeditado, planejado com cúmplices desconhecidos até o momento, argumentou o Tribunal.

Além disso, rastros do DNA de Mandic foram encontrados no veículo e partículas de pólvora em sua roupa, entre outras provas.

Outras duas pessoas, cuja identidade ainda não se conhece, estiveram com Mandic no carro; uma deles dirigia o veículo e a outra atirou no jornalista, fortemente oposicionista, em frente à redação do "Dan" em Podgorica, em maio de 2004.

Em um julgamento anterior pelo mesmo crime, em 2006, Mandic havia sido absolvido. EFE dp/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.