Brasília, 26 nov (EFE).- O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobrevoou hoje o estado de Santa Catarina, cuja situação descreveu como trágica e onde o número de mortos pelas chuvas, enxurradas e deslizamentos de terra pode passar de 100, segundo a Defesa Civil.

De helicóptero, Lula foi até o nordeste do estado, a região mais afetada pelas precipitações que desde o fim de semana atingem o sul e o sudeste do Brasil.

O último balanço da Defesa Civil de Santa Catarina, divulgado por volta das 20h, dá conta de 99 mortos, 19 desaparecidos, 78.656 desalojados e desabrigados e mais de 1,5 milhão de afetados.

Nesta quarta-feira, Lula e seu ministro da Defesa, Nelson Jobim, se encontraram com o governador Luiz Henrique da Silveira no aeroporto da cidade catarinense de Navegantes.

Antes de partir para Santa Catarina, Lula disse no Rio de Janeiro, onde duas pessoas do município de Rio Bonito também morreram por causa de uma forte tempestade, que estava viajando para "prestar solidariedade ao povo, que vive uma tragédia por conta da quantidade de chuva" que há vários meses cai na região e se intensificou no último fim de semana.

Os temporais diminuíram um pouco, mas o enorme volume de água saturou o solo e causou inundações e deslizamentos de terra, que destruíram casas e estradas.

Segundo a Defesa Civil estadual, os municípios de São Bonifácio, Luiz Alves, São João Batista, Rio dos Cedros, Garuva, Pomerode, Itapoa e Benedito Novo estão completamente isolados pelas enchentes, de modo que só é possível levar ajuda até eles por via aérea.

Em seis localidades (Gaspar, Rio dois Cedros, Nova Trento, Camboriu, Benedito Novo e Pomerode), os prefeitos decretaram "estado de calamidade pública".

A situação é dramática na cidade de Itajaí, de 130 mil habitantes e onde as águas cobrem cerca de 80% do município e paralisaram as operações do porto, segundo as autoridades locais.

Nas últimas horas, Itajaí e outros municípios foram cenário de uma onda de saques a supermercados e outros estabelecimentos comerciais, invadidos por pessoas que dizem não ter alimentos.

Ao voltar para Brasília, Lula assinará um decreto destinando R$ 1,6 bilhão para socorrer as vítimas das chuvas e das inundações em Santa Catarina, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo.

A maior parte dessa quantia irá para Santa Catarina, segundo a ministra chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, que prometeu que o Governo fará "os investimentos necessários para a recuperação" do estado.

Além disso, o Ministério da Fazenda disponibilizará mais R$ 370 milhões por meio de operações com títulos públicos, segundo o Governo.

Por sua vez, o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, que visitou a região afetada esta manhã, anunciou que enviará à Santa Catarina R$ 100 milhões e 17 toneladas de remédios e material para hospitais.

Gomes Temporão também anunciou que pedirá ao Ministério da Defesa a instalação de um hospital de campanha para atender aos milhares de desabrigados no estado.

"Essa é uma decisão rápida para facilitar, sem burocracia, os recursos necessários", declarou.

Enquanto isso, cerca de três mil caminhões aguardam a reabertura das cerca de 20 estradas catarinenses para poder levar ajuda ao estado. EFE joc/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.