Lula termina Cúpula América Latina-UE tocando instrumento de percussão

Lima, 17 mai (EFE) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o chefe de Estado do Peru, Alan García, que durante a 5ª Cúpula América Latina-Caribe-União Européia (EU-LAC, em inglês) denunciaram os grandes desequilíbrios entre Europa e América Latina, terminaram hoje a reunião tocando cajones peruanos. Os dois governantes não resistiram à tentação de se transformar em músicos improvisados e se somaram a um grupo de vendedores ambulantes peruanos que tocava a música Tico Tico no Fubá junto a jovens brasileiros com bongos, atabaques e maracas. O cajon é um dos poucos instrumentos de percussão no qual o artista se coloca em cima para perceber a vibração. Alan García demonstrou seus dotes musicais a Lula, que lhe observou atentamente para não perder o compasso.

EFE |

A lembrança marcou o final da breve visita oficial ao Peru realizada hoje por Lula, um dos maiores críticos durante a Cúpula América Latina-UE sobre a ausência de compromissos concretos por parte dos países desenvolvidos para reduzir a pobreza e superar os desequilíbrios regionais.

"Serei eu quem vai introduzir o cajon musical peruano nas escolas de samba do Rio de Janeiro, espero que seja lembrado por isso e por outras coisas", brincou García.

O presidente peruano deu a Lula mil cajones para que sejam distribuídos nas escolas de samba do Rio de Janeiro.

"É um presente modesto, mas de grande significação, uma forma de que sempre lembrem com alegria: o Peru, o Peru, o Peru", brincou o presidente peruano. EFE mf/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG