só faz sentido se Morales e oposição aceitarem - Mundo - iG" /

Lula: Reunião da Unasul só faz sentido se Morales e oposição aceitarem

Rio de Janeiro, 13 set (EFE) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje que a reunião de líderes da União de Nações Sul-americanas (Unasul) convocada para segunda-feira só faz sentido se houver proposta e se o Governo e a oposição boliviana aceitarem. Esta reunião só faz sentido se houver um pedido da Bolívia e uma proposta, porque se as duas partes não estão pedindo que nos reunamos, se nós tomarmos uma decisão e depois nenhuma das partes aceitar, a reunião será inútil, disse Lula a jornalistas. Ele se referiu a uma reunião extraordinária da Unasul convocada para segunda-feira pela chefe de Estado chilena, Michele Bachelet, em Santiago do Chile, para discutir a situação de violência criada pelos protestos da oposição contra o Governo de Evo Morales. Lula disse que se a reunião se mantiver, está disposto a viajar na segunda-feira à capital do Chile, mas antes quer saber para que e destacou que, com esse objetivo, fará uma rodada de consultas no fim de semana. Segundo Lula, os presidentes sul-americanos não podem tomar uma decisão pela Bolívia e, antes de se reunir, devem saber o que interessa ao Governo e à oposição boliviana. É importante deixar claro que não temos direito de tomar nenhuma decisão sem a aprovação do Governo e da oposição da Bolívia, pois são eles quem deve dar o paradigma de nossa participação, acrescentou. De outro modo, advertiu, será uma interferência em outro país e isso Brasil não fará em hipótese ...

EFE |

"Acho que os líderes, os políticos da Bolívia, devem compreender que o país só tem uma oportunidade para se desenvolver, e isso passa por consolidar o processo democrático e fortalecer a Constituição", indicou.

Lula lembrou que o mandato do presidente Evo Morales "acaba de ser referendado pelo povo" em um plebiscito e considerou que "a oposição pode fazer as manifestações que quiser", mas esclareceu que "não é possível aceitar a violência" nem que sejam cometidos ataques a gasodutos ou "países-membros, como o Brasil e a Argentina".

Lula insistiu em que o Governo e a oposição bolivianos "devem se sentar em torno de uma mesa, e verão que é mais fácil encontrar uma solução negociada que permitir que o povo se enfrente nas ruas".

O presidente lamentou a morte de pelo menos 16 pessoas no conflito e afirmou: "Não deveríamos ter nenhum morto na Bolívia nem em outro país", pois as sociedades "não precisam de confrontos, mas diálogo e desenvolvimento".

Sobre os bloqueios que grupos de oposição mantêm há dois dias em algumas passagens fronteiriças com o Brasil, Lula disse que eles "deveriam saber que, ao manter a fronteira fechada, quem perdem são eles". EFE ed/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG