Lula recebe representantes da A.Latina para fórum econômico

Rio de Janeiro, 8 abr (EFE).- O presidente Luiz Inácio Lula da Silva receberá os chefes de Estado da Colômbia e da República Dominicana, entre outras autoridades, para abordar a crise global na edição latino-americana do Fórum Econômico Mundial (FEM), que acontecerá na próxima semana, no Rio de Janeiro, informaram hoje os organizadores.

EFE |

A reunião, de 14 a 16 de abril, contará com a participação de quase 550 autoridades e líderes econômicos, políticos e acadêmicos de 37 países, e terá como tema central as implicações da crise econômica para a América Latina.

"O Fórum ocorre em um momento crucial para a América Latina. Após a recente Cúpula do G20 (os países ricos e os principais emergentes), em Londres, o evento permitirá aos participantes debater como devem ser as respostas da região à crise", disse hoje o diretor do FEM para a região, Emilio Lozoya Austin, em entrevista coletiva no Rio de Janeiro.

Lula será o principal orador na cerimônia de abertura, no dia 15, enquanto os presidentes da Colômbia, Álvaro Uribe, e da República Dominicana, Leonel Fernández, participarão do encerramento no dia 16.

Segundo Austin, o encontro também servirá para debater ideias que possam ser apresentadas na 5ª Cúpula das Américas, que será realizada em Trinidad e Tobago de 17 a 19 deste mês.

"Além dos três chefes de Estado que participarão do fórum, outras autoridades e representantes de organismos internacionais também estarão na cúpula de Trinidad e Tobago", disse.

Entre os que assistirão ao fórum estão o titular do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Luis Alberto Moreno; a secretária-executiva da Comissão Econômica Para a América Latina e o Caribe (Cepal), Alicia Bárcena; e a vice-presidente do Banco Mundial para a América Latina, Pamela Cox.

Entre os conferencistas, destacam-se o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o ex-líder colombiano César Gaviria.

O dirigente indicou que este encontro acontecerá no momento em que, pela primeira vez, admite-se que a América Latina é parte da solução da atual crise mundial.

Destacou que, enquanto a previsão é de recessão nas maiores economias do mundo, alguns países latino-americanos, como Colômbia, Peru e Chile, podem terminar o ano com crescimento.

"A região atrai a atenção dos empresários de todo o mundo, devido a que, apesar dos efeitos da crise, ainda tem espaço para crescer. A participação da América Latina no investimento estrangeiro direto no mundo todo cresceu nos últimos anos de 3% até 6%", afirmou. EFE cm/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG