Lula rebate críticas da oposição e defende programas sociais

Brasília, 5 ago (EFE).- O presidente Luiz Inácio Lula da Silva rejeitou hoje as críticas da oposição que qualificam os projetos sociais do Governo de esmolas e afirmou que, pelo contrário, são o motor que mantém a economia funcionando em tempos de crise.

EFE |

Na inauguração de um seminário sobre desenvolvimento social, Lula disse que só o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome tem um orçamento anual de US$ 17 bilhões, que quase na totalidade são injetados diretamente na economia.

O ministério é responsável pelo Bolsa Família, que subsidia a população de baixa renda que tem filhos na escola, mas Lula citou outros programas, como um no Ministério de Minas e Energia, que visa a dotar de luz elétrica a zona rural do país.

Lula disse que, nos últimos anos, "dois milhões de residências receberam eletricidade" graças a esse programa, que tirou "das sombras" pessoas que "antes nasciam, cresciam e morriam sob a luz de uma lâmpada de querosene".

O presidente lançou dados oficiais para demonstrar a forma como esses projetos contribuíram com a economia.

Segundo ele, 83% das pessoas que receberam eletricidade compraram um televisor "e puderam assistir pela primeira vez uma partida da seleção brasileira" de futebol, e que outros 87% adquiriram pela primeira vez uma geladeira.

Também afirmou que outros 47%, "que devem gostar de samba, comprou aparelhos de som".

Lula reconheceu que, além desses e de outros programas sociais do Governo, "ainda é preciso fazer muito mais", mas disse que o Brasil encontrou o caminho para tirar milhões de pessoas da pobreza. EFE ed/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG