Lula quer retomar diálogo com Honduras e retorno do país à OEA

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva considera que é importante retomar o diálogo com Honduras, afirmando que também seria importante que o país caribenho seja novamente integrado à Organização dos Estados Americanos (OEA), afirmou nesta sexta-feira seu porta-voz, Marcelo Baumbach.

EFE |

De acordo com o porta-voz, Lula "não quer que perdure essa situação de ruptura do diálogo com o governo hondurenho", presidido desde janeiro por Porfirio Lobo.

Segundo Baumbach, para o presidente, a cúpula do Grupo do Rio marcada para semana que vem no México pode ser uma "oportunidade" para estreitar posições com o resto da América Latina.

O Brasil ainda não reconheceu Lobo como presidente, pois o considera surgido de um processo eleitoral "ilegítimo". Entretanto, segundo Baumbach, o país "não reconhece governos, mas Estados", e "mantém uma embaixada em Honduras", o que implica em um reconhecimento.

O porta-voz reiterou que, na opinião do Brasil, "algumas medidas internas devem ser tomadas, como a criação de uma Comissão da Verdade" e "o retorno de Manuel Zelaya ao país", para que haja um "verdadeiro processo de reconciliação nacional".

No entanto, expressou que não se trata de "condições" para uma eventual retomada do diálogo, apesar de ressaltar que a posição do Brasil é de que "qualquer solução que seja dada à crise não pode criar um precedente de apoio a movimentos golpistas na América Latina".

Baumbach disse que a posição brasileira em relação à condenação ao golpe de Estado que derrubou Zelaya em 28 de junho de 2009 e ao processo eleitoral que levou Porfirio Lobo ao poder "nunca foi isolada" e foi resultado de consultas a outros países latino-americanos.

O porta-voz também lembrou que o Brasil "foi lançado um pouco contra sua vontade ao centro dessa crise", quando Zelaya decidiu retornar a Tegucigalpa de surpresa em 21 de setembro após ter sido expulso pelos golpistas e pediu refúgio na embaixada brasileira, onde permaneceu durante quase quatro meses.

Sobre o possível retorno de Honduras à OEA, da qual o país foi suspenso por causa do golpe de Estado, o porta-voz disse que Lula "acha importante" que o organismo receba essa nação novamente para facilitar a retomada do diálogo.

"O presidente Lula continua preocupado com o precedente de ruptura institucional, mas acha importante o retorno de Honduras à OEA", sustentou.

Baumbach explicou que Lula "não levará nenhuma proposta concreta" à cúpula do Grupo do Rio, mas esclareceu que o presidente "irá disposto a conversar com outros líderes latino-americanos", pois acredita que desse encontro pode surgir "uma posição regional".

Leia mais sobre Honduras

    Leia tudo sobre: honduras

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG