Lula quer discutir com Michelle Bachelet ações de ajuda ao Chile

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta segunda-feira que quer discutir com a presidente do Chile, Michelle Bachelet, ações de ajuda a serem enviadas ao país após o terremoto do último sábado.

iG São Paulo |

Em seu programa semanal Café com o Presidente, ele disse ainda não ter feito contato direto com a líder chilena por conta de problemas de comunicação provocados pelos tremores. "Vamos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para sermos solidários ao Chile, como estamos sendo solidários ao Haiti", disse.

Lula lembrou que o país vizinho é mais bem estruturado em relação a terremotos ¿ com equipes de defesa civil melhor preparadas e construções mais resistentes aos tremores. "Mas, naquilo que for necessário, nós vamos ser solidários", finalizou.

711 mortos

O número de mortos pelo terremoto do Chile chega a 711 pessoas , com um número ainda indeterminado de feridos e desaparecidos.

As equipes de socorro tentam resgatar as pessoas presas entre os escombros em cidades como Concepción, Talcauano, Curicó, San Javier, Linares e Talca, e para hoje se espera a chegada dos primeiros envios de ajuda humanitária internacional.

Das 711 mortes registradas até agora, pelo menos 541 aconteceram na região de Maule, cerca de 300 km a sul de Santiago, cuja área costeira foi varrida por um tsunami.

A presidente do Chile, Michelle Bachelet, anunciou neste domingo medidas de emergência para ajudar as vítimas do forte terremoto que atingiu o país.

Entre as medidas anunciadas por Bachelet está a declaração de "zona de catástrofe" para as regiões de Maule e Bío Bío, onde está Concepción, segunda maior cidade do país e uma das mais atingidas pelo tremor.

A Força Aérea do Chile vai levar suprimentos para as duas áreas e os militares vão assumir a liderança da distribuição. Produtos básicos serão entregues de graça, mas os pontos de entrega ainda terão que ser decididos.

Um toque de recolher também foi determinado para as duas regiões. Além disso, o Exército foi enviado à Concepción para ajudar a polícia local, depois que o comércio da cidade foi alvo de saques.

Saques

Os moradores saquearam o supermercado Líder, da rede americana Wal-Mart. Grande parte levou alimentos e artigos de primeira necessidade, embora outros tenham aproveitado para roubar eletrodomésticos, televisores e equipamentos de som.

AP
Homem saqueia supermercado em Concepción

Homem saqueia supermercado em Concepción

Gás lacrimogêneo foi usado para dispersar os saqueadores. Depois, a própria polícia autorizou a entrada de mulheres para que pegassem comida, leite, fraldas, papel higiênico e outros produtos básicos. A confusão fez com que o presidente eleito do Chile, Sebastian Piñera, pedisse que o Exército fosse às ruas manter a ordem .


Com EFE, Reuters, Agência Brasil e BBC

Leia também:

Leia mais sobre terremoto

    Leia tudo sobre: terremoto no chile

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG