Lula pede que bancos centrais evitem especulação financeira

Nações Unidas, 22 set (EFE) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu hoje que os bancos centrais revisem algumas medidas para que não se permita a especulação financeira, em declarações a jornalistas na sede das Nações Unidas, em Nova York, onde participa dos debates da Assembléia Geral. Não é justo que, quando os cassinos ganham dinheiro, tudo vai bem, e quando perdem, todos tenham que pagar por isso, afirmou. As conseqüências da crise financeira internacional serão um dos assuntos centrais neste fórum, que reúne chefes de Estado e de Governo de 192 países. O presidente brasileiro, que na terça-feira será o primeiro líder a discursar na tribuna da ONU, expressou preocupação com a crise e disse que, se houver uma recessão nos Estados Unidos, isso teria conseqüências no mundo todo. Se a crise ocorre em um país pequeno, não acontecerá nada com os grandes, mas se é o contrário, haverá conseqüências para todos, advertiu. Lula enfatizou que não é justo que o país pague por uma dívida que não é de nenhum brasileiro. Por isso, insistiu em que as nações desenvolvidas adotem medidas para combater os efeitos da crise. Não é justo que os países pobres paguem pelos erros dos países desenvolvidos, pois eles não têm condições para realizar um resgate financeiro, afirmou. O presidente também disse estranhar o fato de que os Estados Unidos passeiem agora com sua Quarta Frota pelo Atlântico, depois de ter sido encontrada na região uma j...

EFE |

Lula recebeu hoje, na sede das Nações Unidas, um prêmio em reconhecimento a sua "exemplar" trajetória política e gestão em favor dos desfavorecidos por parte da "Inter Press Service".

No ato, o presidente brasileiro defendeu um mundo mais equilibrado e democrático e pediu para potenciar o diálogo Sul-Sul.

Também destacou que um dos pilares da democracia é a liberdade de imprensa.

"É uma lição que aprendi na dura luta contra o autoritarismo", precisou.

"Eu sou o resultado da democracia e da liberdade de imprensa, nunca teria chegado a ser presidente do meu país se não fosse assim", disse.

O presidente também recebe hoje a medalha de ouro concedida pelo grupo The Americas Society/Council of The Americas, em Nova York, em reconhecimento por sua contribuição ao continente latino-americano.

EFE va/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG