Lula pede fim de construções em colônias judaicas

Ramala, 17 mar (EFE).- O presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu hoje, em Ramala, a interrupção das construções nas colônias judaicas em solo palestino como forma de garantir a estabilidade no Oriente Médio.

EFE |

"Os assentamentos devem parar porque a estabilidade da região é importante para todos", declarou Lula, que, acompanhado do presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, acrescentou que sonha com "um Estado palestino que viva em paz com seus irmãos no Oriente Médio".

O chefe de Estado brasileiro destacou que não acredita que haja ninguém no mundo mais otimista que ele em relação ao alcance da paz na região.

"Acredito no poder dos seres humanos, acho que há um clima positivo, acredito na paz e que ela chegará à região", afirmou Lula.

O presidente brasileiro também admitiu a existência de "alguns obstáculos e problemas", mas assegurou que "os políticos serão capazes de solucioná-los" e que o "Brasil dará todo seu apoio para que haja um processo de paz sólido".

Lula pediu ainda que Israel suspenda o bloqueio a Gaza e disse que o muro que o Estado judeu constrói na Cisjordânia "deve cair".

Já Abbas, além de declarar que a ANP "não tem objeções a conversas de aproximação nem à (colocação) de condições prévias", frisou que o problema é "a falta de compromisso de Israel com o Mapa de Caminho", o plano de paz lançado em 2003 pelo Quarteto de Médio (Estados Unidos, União Europeia, ONU e Rússia).

"Se Israel se compromete com o Mapa de Caminho, então vai parar todos os seus projetos de expansão de assentamentos em todas as áreas palestinas e, em particular, em Jerusalém Oriental", disse Abbas.

O líder palestino também mostrou seu apreço pelo Brasil, "um grande país que deu e continuará dando apoio para o estabelecimento da paz e de um Estado palestino". EFE nm/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG