Lula pede a Obama reunião de países empenhados na ajuda ao Haiti

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu nesta quarta-feira, em conversa por telefone com o presidente americano, Barack Obama, uma reunião do grupo de países empenhados na reconstrução do Haiti, seriamente afetado por um terremoto. Em entrevista a jornalistas em Brasília após a conversa, Lula afirmou que disse ao líder americano que o Brasil está disposto a participar na coordenação do encontro que visa agilizar o que seja necessário de recursos para recuperar o Haiti.

BBC Brasil |

Segundo um porta-voz do Itamaraty, Obama manifestou o desejo que de as ações para ajuda e reconstrução provenientes de diversos países sejam coordenadas.

O presidente americano teria afirmado ainda que discutirá a proposta de Lula em um encontro com o ex-presidente e enviado especial da ONU para o Haiti, Bill Clinton.

Obama ainda teria parabenizado o governo brasileiro pelo papel que o país exerce no alívio da crise no Haiti.

O Itamaraty informou ainda que o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, manterá contato com a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, sobre o andamento da situação no Haiti e sobre a eventual reunião dos países que anunciaram envio de ajuda humanitária após o terremoto.

Brasil
A ajuda brasileira às vítimas do terremoto no Haiti já começa a ser enviada a Porto Príncipe nesta quarta-feira.

O primeiro avião da Força Aérea Brasileira carregado com suprimentos para as vítimas do terremoto chega a Porto Príncipe na manhã desta quinta-feira.

De acordo com a Força Aérea, a aeronave estará carregada com 13 toneladas de suprimentos - incluindo água e alimentos - e deve chegar à capital haitiana na manhã de quinta-feira.

Um outro avião da FAB deve deixar o Rio de Janeiro nesta quinta, em horário ainda não definido. Além de suprimentos, a aeronave também levará ao Haiti profissionais da Defesa Civil do Rio de Janeiro e cães farejadores.

A Força Aérea afirmou estar disponibilizando ainda mais seis aviões de transporte que podem ser usados no auxílio às vítimas.

Além dos aviões, o Brasil também deve enviar ao país uma ajuda no valor de US$ 15 milhões. Mas, segundo o Ministério das Relações Exteriores, ainda não está decidido como exatamente o dinheiro será usado.

Prioridade
O ministro da Defesa, Nelson Jobim, deve chegar ainda nesta quarta-feira ao Haiti. Ele partiu em um avião da FAB, acompanhado pelos comandantes da Marinha e do Exército, do secretário executivo da Secretaria Especial de Direitos Humanos, Rogério Sottili, e do senador Flávio Arns (PSDB-PR), de acordo com a Agência Brasil.

Em nota, o ministério afirmou que "a prioridade do governo brasileiro neste momento, em termos de ajuda humanitária às vítimas do terremoto que atingiu o Haiti, é enviar água e alimentos disponíveis no estoque do governo e garantir o trabalho dos brasileiros que já estão naquele país". A avaliação do Ministério da Defesa e das Forças Armadas é que não há condições, no momento, de organizar doações de alimentos, água, roupas ou outros materiais arrecadados por terceiros e nem de armazená-los e distribuí-los no Haiti.

De acordo com o ministério, o governo ainda não tem uma avaliação precisa das reais necessidades da população haitiana e "é preciso aguardar o momento oportuno para organizar e, eventualmente, despachar àquele país doações encaminhadas por terceiros".

* Colaborou Fabrícia Peixoto, da BBC Brasil em Brasília

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG