Lula pede a Obama medidas imediatas para conter crise global

Rio de Janeiro, 7 nov (EFE).- O presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu hoje que o líder eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, tome medidas imediatas para conter a crise financeira internacional.

EFE |

"Quem tem mais responsabilidade para resolver essa crise é o presidente eleito dos EUA", disse Lula na cidade de Foz do Iguaçu durante um encontro com governadores e prefeitos de países do Mercosul (Mercado Comum do Sul).

"Obviamente ele terá que tomar medidas, até no grupo de transição, para resolver essa crise que não pode durar muito tempo" frisou no discurso.

Durante a campanha eleitoral dos EUA, Lula já havia manifestado seu aberto apoio à eleição de Obama.

No discurso, Lula advertiu, no entanto, que os demais países não podem ficar esperando pelas medidas de Washington e devem adotar suas próprias ações de maneira conjunta, pois no caso da América Latina, "não há saída individual" levando em conta o cenário atual.

Segundo o presidente, para os países do Mercosul, como no futebol, "a melhor defesa é o ataque", por isso que se deve ampliar o comércio dentro da região para superar uma crise cuja magnitude ainda se desconhece.

Lula voltou a defender sua tese de que os brasileiros devem seguir gastando para manter a economia em movimento.

Para o presidente, quando o pânico se instala na cabeça do povo, "o cidadão fica com medo de comprar e isso é muito delicado porque aí sim que a crise chega de verdade", pois cessam consumo, comércio e a produção nas fábricas.

A exemplo de outros discursos, Lula reiterou que o Brasil não será alcançado pela crise financeira global. EFE ol/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG