Lula nega que pretenda se licenciar para fazer campanha por Dilma

Rio de Janeiro, 5 mar (EFE).- O presidente Luiz Inácio Lula da Silva negou hoje que pretenda se licenciar do cargo em agosto e setembro para reforçar a campanha eleitoral da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, pré-candidata do PT à Presidência.

EFE |

"Não há hipótese dessa discussão acontecer", afirmou Lula durante uma entrevista a rádios da região Nordeste.

"Seria descabido você imaginar que um presidente da República fosse pedir licença do cargo mais importante do Brasil para fazer campanha. (...) Não teria cabimento, não teria lógica, seria uma irresponsabilidade com o mandato que foi me dado pelo povo brasileiro", acrescentou o presidente, citado pela "Agência Brasil".

Na mesma entrevista, Lula alegou que também não é lógico pensar que possa ajudar mais um candidato se estiver afastado da Presidência.

"Achar que eu me afastando posso ajudar mais um candidato do que estando da Presidência seria diminuir o mandato. Se fosse assim, quem não tivesse mandato teria mais força política do que eu que tenho", afirmou.

Na última quarta-feira, a imprensa divulgou que, segundo fontes da Presidência, Lula estudava a possibilidade de licenciar-se durante dois meses para poder participar da campanha eleitoral de Dilma sem impedimentos legais.

Ainda de acordo com as informações divulgadas, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), viria a assumir a Presidência interinamente, já que os próximos na linha sucessória - o vice-presidente José Alencar e o presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP) -, também disputariam cargos eletivos. EFE cm/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG