Lula na ONU: comunidade internacional quer retorno imediato de Zelaya ao poder

A comunidade internacional quer que o presidente deposto de Honduras seja restabelecido imediatamente no poder, afirmou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva em seu discurso inaugural na Assembleia Geral da ONU.

AFP |

"A comunidade internacional pede que Zelaya regresse imediatamente à presidência de seu país", afirmou Lula, acrescentando que é preciso permanecer alerta para assegurar a inviolabilidade da embaixada brasileira na capital de Honduras.

"A menos que exista vontade política, vamos presenciar outros golpes como o que depôs o presidente constitucional de Honduras", advertiu Lula.

Também fez um forte apelo por um anova ordem econômica mundial.

"Como a economia global é interdependente, somos obrigados a intervir através das fronteiras nacionais e devemos, portanto, criar uma nova ordem econômica mundial".

Insistiu que instituições multilaterais como o FMI e o Banco Mundial se tornem "mais representativas e democráticas" para lidar com problemas complexos como o sistema monetário internacional.

"Países pobres e em desenvolvimento devem ter aumentada sua cota de controle no FMI e no Banco Mundial", enfatizou.

Quanto à situação doméstica de seu país, afirmou que o Brasil está saindo de uma breve recessão.

"Nossa economia retomou seu ímpeto e se mostra promissora para 2010. O comércio exterior está recobrando vitalidade, o mercado de trabalho está se saindo muito bem e o equilíbrio macroeconômico foi preservado".

Lula também garantiu que seu país fará sua parte na questão do aquecimento global e que vai apresentar "alternativas e compromissos precisos" na cúpula do clima de Copenhage.

E, em seu objetivo de conseguir uma vaga para o Brasil no Conselho de Segurança da ONU, afirmou que as Nações Unidas não podem mais manter as mesmas estruturas que vigoram desde a Segunda Guerra Mundial.

ltl/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG