Lula inaugura ponte na fronteira com Guiana

Brasília, 14 set (EFE).- O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ao lado do chefe de Estado da Guiana, Bharrat Jagdeo, inaugurou hoje uma ponte sobre o rio Tacucú, na fronteira entre os dois países, e qualificaram o ato como mais um passo rumo à integração de América do Sul e Caribe.

EFE |

"A partir de agora somos ainda mais parceiros na indispensável tarefa de construir uma ponte maior" entre os países da América do Sul e do Caribe, declarou Lula durante a inauguração da obra na cidade amazônica de Bonfim, à beira do rio Tacucú.

A ponte que a partir de hoje une Brasil e Guiana representa a primeira conexão terrestre entre ambos os países e significa, segundo Lula, "a primeira passagem de uma obra maior" que levará o norte brasileiro até o Caribe.

O presidente brasileiro disse estudar a possibilidade de convocar uma Cúpula Brasil-Comunidade do Caribe (Caricom), que é formada por Antígua e Barbuda, Bahamas, Barbados, o Belize, Dominica, Granada, Guiana, Haiti, Jamaica, Montserrat, São Cristóvão e Névis, Santa Lúcia, São Vicente e Granadinas, Suriname e Trinidad e Tobago.

Segundo Lula, "não haverá uma verdadeira integração na América Latina caso não se inclua definitivamente os países do Caribe".

O presidente da Guiana coincidiu com essa opinião e ressaltou que para os países do Caribe a obra inaugurada hoje é de "importância vital", pois supõe "o acesso a um dos maiores mercados do mundo, como o é o brasileiro, ao resto da região".

Jagdeo assegurou que "há muito espaço para expandir o comércio entre Brasil e os países da Caricom, e também com o resto das nações da América do Sul", que através do Caribe também terão acesso "aos grandes mercados de EUA e Europa".

Lula anunciou também que o Brasil está disposto a financiar as obras necessárias para pavimentar as estradas entre o rio Tacucú e Georgetown e que estudará a possível concessão de créditos públicos a empresas brasileiras, para que participem da construção de uma hidroelétrica na Guiana.

"O presidente Jagdeo tem interesse em uma hidroelétrica de cerca de 800 megawatts" e uma missão brasileira que será liderada pelo ministro da Energia, Edson Lobão, viajará à capital guianense em outubro próximo para estudar o assunto, anunciou Lula.

Durante o encontro entre os presidentes foram assinados acordos bilaterais nas áreas de defesa, cooperação agrícola, educação e comércio.

Segundo Lula, também se acordou promover a abertura de agências bancárias em ambos os lados da fronteira com a meta de acelerar os trâmites para financiar projetos de desenvolvimento, especialmente no setor agrícola.

"São abertas excelentes oportunidades para repetir em solo guianense o sucesso da tecnologia brasileira no cultivo de soja e arroz", afirmou Lula. EFE ed/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG