Lula: EUA não devem esperar gestos de Cuba para continuar o diálogo

Os Estados Unidos não devem esperar gestos de Cuba para dar sequência ao processo de aproximação com Havana, afirmou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva em uma entrevista publicada neste domingo pelo jornal espanhol ABC.

AFP |

A suspensão de algumas sanções contra a ilha, anunciado pelo presidente americano Barack Obama, representa "um passo inicial na direção correta, mas apenas o início de um processo", disse Lula.

"É importante que não se esperem gestos de Cuba para que outros passos sejam dados", acrescentou o presidente do Brasil.

Obama afirmou na V Cúpula das Américas, que acontece em Trinidad e Tobago, que está disposto a iniciar um diálogo com Cuba, com o objetivo de estabelecer uma nova direção nas relações entre Washington e Havana.

Mas a Casa Branca reiterou no sábado que agora os anúncios devem partir de Cuba e que Obama espera medidas de reciprocidade, sobretudo em termos de direitos humanos e de libertação de presos políticos.

"Cuba tem um grande valor simbólico na América Latina", afirmou Lula, para quem a exclusão deste país das instâncias regionais "continua sendo uma anomalia".

A ilha comunista foi excluída da Organização dos Estados Americanos (OEA) em 1962.

Lula recordou ainda que todos os líderes latino-americanos e caribenhos desejam o fim do embargo econômico americano contra Cuba, uma posição que foi reiterada durante a reunião de Trinidad e Tobago.

gg/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG