Lula envia Amorim a Teerã e defende programa nuclear pacífico

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva enviou nesta quinta-feira o chanceler Celso Amorim ao Irã, Turquia e Rússia para dar andamento às conversas sobre o programa nuclear iraniano, e reafirmou o apoio do Brasil ao uso da energia nuclear para fins pacíficos pela República Islâmica. Lula visitará o Irã em maio, em meio a crescentes pressões de potencias ocidentais sobre o país persa. Lideradas pelos Estados Unidos, esses países acusam Teerã de buscar a fabricação de armas nucleares e defendem a aplicação de sanções contra o governo do presidente Mahmoud Ahmadinejad. A República Islâmica nega.

Reuters |

Para o presidente Lula, só um acordo pode garantir que o programa nuclear iraniano não leve à produção de armas nucleares.

"Isso não é uma coisa pessoal. Isso tem que ser feito um acordo", disse Lula a jornalistas depois de oferecer um almoço ao presidente do Líbano, Michel Sleiman. "Acreditamos que os foros multilaterais vão decidir essas garantias para todos nós."

Lula reafirmou a posição do governo brasileiro sobre o tema. "O Brasil defende a tese de que o Irã tem o direito de produzir energia nuclear para fins pacíficos, seja para produzir energia elétrica ou para produzir remédio... o Brasil defende para o Irã o mesmo que o Brasil tem", destacou.

"O limite é manter a paz."

Ele voltou a criticar a aplicação de sanções contra o Irã e a defender a ampliação do grupo de países que discutem o tema. "Temos autoridade moral e política para discutirmos esse assunto com quem quer que seja. Discutir a paz hoje não é privilégio de um ou outro país, é de todos aqueles que praticam cotidianamente a paz."

(Reportagem de Fernando Exman)

    Leia tudo sobre: lula

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG