Paris, 6 jul (EFE).- O presidente Luiz Inácio Lula da Silva será recebido amanhã, em Paris, pelo presidente da França, Nicolas Sarkozy, para aproximar posturas em questões de energia, mudança climática, segurança alimentar e governança global, antes da cúpula do Grupo dos Oito (G8, os sete países mais desenvolvidos e a Rússia), que começa na quarta-feira, na Itália.

A agenda da reunião inclui também temas bilaterais, como a visita de Sarkozy ao Brasil em setembro ou aspectos relacionados à "cooperação econômica" e com a "área militar", disse à imprensa o ministro das Relações Exteriores brasileiro, Celso Amorim.

"O G8 não é mais um instrumento adequado para lidar com os problemas da atualidade", disse Amorim, que ressaltou que a França e o Brasil "querem criar um mundo multipolar e lamentou que existam "duas classes de cidadãos do mundo, uma primeira classe do G8 e uma segunda classe que seriam os outros".

Se o objetivo for "tratar de outros temas", é preciso recorrer aos "países que podem ajudar", disse Amorim, que se surpreende pelo fato de que, nesses fóruns, não estejam representados Estados caribenhos, atingidos por um eventual aumento do nível do mar, ou países africanos, que poderiam ser atingidos pela desertificação, se as temperaturas aumentarem.

Existe uma "afinidade total" entre França e Brasil a respeito da reforma de alguns fóruns e instituições internacionais, acrescentou o chanceler.

O Brasil assistirá à cúpula do G8 na localidade italiana de L'Aquila como convidado, assim como cerca de 20 países e de organismos internacionais, entre eles o G5, formado pelas grandes economias emergentes (Brasil, China, Índia, África do Sul e México).

A visita de Lula a Paris servirá também para que o presidente brasileiro promova a candidatura do Rio de Janeiro aos Jogos Olímpicos de 2016.

O presidente brasileiro irá também à sede da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), onde receberá o prêmio de promoção da paz Félix Houphouet-Boigny.

O júri do prêmio, liderado pelo ex-presidente de Portugal Mário Soares, concede o prêmio a Lula por "sua ação a favor da busca da paz, do diálogo, da democracia, da justiça social e da igualdade de direitos, assim como por sua ampla contribuição à erradicação da pobreza e à proteção dos direitos das minorias".

Além disso, na véspera de sua reunião com Sarkozy, Lula manterá um encontro particular com o primeiro-ministro português, José Sócrates. EFE jaf/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.