Lula e Correa se compromotem a baixar o tom em negociações bilaterais

Costa de Sauípe (Bahia), 17 dez (EFE).- O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e seu colega do Equador, Rafael Correa, se comprometeram hoje, após uma tensa reunião de aproximadamente 50 minutos, a prosseguirem com as negociações para a normalização das relações entre ambos os países, informaram fontes oficiais.

EFE |

Segundo fontes da Presidência brasileira consultadas pela Agência Efe, os dois chefes de Estado, que estão na Costa do Sauípe, decidiram solucionar suas diferenças de forma tranqüila e "sem ruídos".

O Governo brasileiro, no entanto, não anunciou no encontro quando enviará de volta ao Equador seu embaixador em Quito, Antonino Marques Porto e Santos, chamado para consultas há cerca de um mês.

"Não houve uma data, mas a decisão de continuarmos negociando sem pressões implica que em algum momento isso acontecerá", disse a fonte do Palácio do Planalto.

Segundo informações, durante o encontro, Correa se comprometeu a pagar, antes do vencimento em 29 de dezembro, a segunda parcela da dívida de US$ 286,8 milhões que o Equador tem com o BNDES.

O crédito foi usado para financiar a contrução da hidrelétrica de San Francisco, erguida pela Odebrecht, inaugurada em meados de 2007, mas que parou de funcionar em junho destr ano, devido a falhas estruturais.

Caso o Equador não pague a segunda parcela da dívida antes de 8 de janeiro, quando os bancos centrais da região efetuarão um ajuste no Convênio de Pagamentos e Créditos Recíprocos (CCR), o país andino será automaticamente considerado inadimplente, não só pelo Governo brasileiro mas por toda a Associação Latino-Americana de Integração (Aladi), que estabelece compromissos de pagamento para projetos regionais. EFE cm/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG