Lula diz que recuperação do PIB mostra que Brasil estava preparado para crise

Rio de Janeiro, 11 set (EFE).- O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, assegurou hoje que o anúncio de que a economia brasileira cresceu 1,9% no segundo trimestre de 2009, em comparação com o primeiro, colocando fim à recessão técnica, demonstra que o país estava bem preparado para enfrentar a crise global.

EFE |

"O país realmente estava mais preparado que todo o mundo desenvolvido para enfrentar a crise econômica", afirmou Lula, em um discurso feito em um ato público na cidade de Ipojuca, em Pernambuco.

"Esse país estava muito mais preparado que os Estados Unidos ou que toda a Europa", acrescentou.

Segundo os dados anunciados hoje pelo Governo, a economia brasileira cresceu 1,9% no segundo trimestre do ano, em comparação com o primeiro, o que pôs fim à recessão técnica à qual foi empurrada pela crise mundial desde março, quando completou dois trimestres consecutivos de crescimento negativo.

Após o anúncio, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse que o resultado permite prever que a economia brasileira terminará o ano com um crescimento de 1% e que a expansão chegará a 5% em 2010, praticamente igual à de 2008 (5,1%).

Lula atribuiu a recuperação ao crescimento do consumo da população, especialmente da mais pobre.

"Graças ao povo brasileiro e, especialmente, à parte mais pobre deste país, a economia sobreviveu, com o consumo crescendo praticamente durante 23 meses consecutivos", assegurou.

O líder acrescentou que a recuperação também foi possível graças às medidas do Governo para incentivar o consumo e a indústria, e para aumentar o investimento em obras públicas.

"Em vez de reagir com medo, como nas outras vezes, e de nos preocupar em alcançar um superávit fiscal primário, decidimos aumentar os recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e a ordem que demos foi de não parar os investimentos", disse.

Lula criticou os setores empresariais que, preocupados com a queda da demanda mundial e interna geradas pela crise, optaram por conceder férias coletivas, demitir empregados, reduzir a produção e adiar investimentos.

"Muitos preferiram acreditar mais em uma mentira bem contada, que em uma verdade nua e crua. O PIB (Produto Interno Bruto) anunciado hoje mostra que a economia caiu, porque uma parte da sociedade brasileira entrou em pânico e preferiu acreditar mais na imprensa que no que nós dizíamos", acrescentou. EFE cm/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG