O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta segunda-feira que não reconhece o novo governo de Honduras e condenou o golpe de Estado que derrubou o presidente Manuel Zelaya. Nós não podemos aceitar ou reconhecer qualquer novo governo que não seja o presidente Zelaya, porque ele foi eleito diretamente pelo voto, cumprindo as regras da democracia, disse Lula durante o programa de rádio Café com o Presidente.

Segundo ele, o retorno de Zelaya à Presidência é "a única condição para que a gente possa estabelecer relações com Honduras".

"Se Honduras não rever a posição, ela vai ficar totalmente ilhada no meio de um contingente enorme de países democráticos", finalizou o presidente.

No domingo, dia do golpe, o Itamaraty já havia divulgado uma nota afirmando que o governo condenava "de forma veemente" a ação militar que resultou na retirada do Presidente de Honduras.

"Ações militares desse tipo configuram atentado à democracia e não condizem com o desenvolvimento político da região. Eventuais questões de ordem constitucional devem ser resolvidas de forma pacífica, pelo diálogo e no marco da institucionalidade democrática", diz a nota.

Depois da detenção e exílio de Zelaya, o então presidente do Congresso, Roberto Micheletti, assumiu o cargo máximo do Executivo do país.

Leia também na BBC Brasil: Presidente interino de Honduras declara toque de recolher
Entenda a crise no país

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.