Lula diz que Amazônia não pode ser santuário da humanidade

Rio de Janeiro, 6 mai (EFE) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva reafirmou hoje sua tese de que a vasta porção brasileira da Amazônia não pode escapar do progresso, pois seus habitantes também querem ter carros, estradas e ferrovias.

EFE |

"Não podemos pensar na Amazônia como se fosse um santuário da humanidade", disse Lula em discurso em Manaus.

O presidente rejeitou categoricamente o que qualificou como uma intromissão internacional sobre o destino dessa região.

"Você chega em qualquer lugar do mundo, o cidadão não sabe nem onde fica o Brasil, mas está dando palpite sobre a Amazônia", disse o presidente.

Lula lançou em Manaus um pacote de investimentos sociais e de infra-estrutura do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Ele acrescentou que é necessário afirmar dentro e fora do Brasil a necessidade de cuidar de forma responsável das águas e selvas, mas disse que "é necessário lembrar que nessa região vivem pessoas que querem ter direito à água, aos carros, às estradas e às ferrovias".

Também criticou os "países carecas que não têm mais uma árvore plantada porque desmataram tudo" e agora pedem ao Brasil que deixe intacta a Amazônia.

"Quando quisermos conselhos a gente pede", disse Lula ao afirmar que o país sabe andar com suas próprias pernas e não precisa de que lhe digam o que tem que fazer. EFE ol/bm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG