Lula discute crise financeira em Nova York

Um encontro sobre a crise financeira mundial será um dos destaques da agenda do presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante sua viagem a Nova York. O evento, na quarta-feira, contará com a presença de, entre outros, chefes de Estado da Índia, China, Austrália, Grã-Bretanha e de representantes do Fundo Monetário Internacional (FMI).

BBC Brasil |

Na semana passada, Lula chegou a brincar, durante uma entrevista, dizendo que o Brasil não seria atingido pela crise, afirmando que quando lhe indagam sobre a turbulência financeira mundial, ele retruca: "pergunta pro Bush".

Durante sua participação na reunião, Lula deverá defender a necessidade de ''politizar'' o tema da crise econômica global, ou seja, irá enfatizar sua tese de que os países pobres e as nações em desenvolvimento não podem pagar a conta de problemas originados nos países ricos.

O avião de Lula aterrissou na cidade na madrugada desta segunda-feira. O presidente foi levado diretamente para o hotel em que está hospedado, o Waldorf Astoria, onde chegou às 2h40 (3h40, hora de Brasília).

Na terça-feira, o presidente fará o discurso de abertura da 63ª Assembléia Geral da ONU.

Reuniões
O encontro sobre a crise econômica mundial na quarta-feira foi uma iniciativa da Grã-Bretanha. Lula também deverá manter um encontro bilateral com o primeiro-ministro britânico, Gordon Brown.

Além de se reunir com o líder britânico, o presidente também terá encontros bilaterais com o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, e com líderes da China, Paquistão, Holanda, Namíbia, Líbano, Gana e, possivelmente, Haiti.

Lula também participará de uma série de encontros multilaterais, entre eles reuniões com chefes de Estado da Unasul (União de Nações Sul-americanas) e com líderes de países que integram a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa.

Entre os eventos de destaque na agenda presidencial constam ainda duas reuniões da ONU sobre, respectivamente, as chamadas Metas do Milênio e segurança alimentar.

Este último, na quinta-feira, será o derradeiro evento do qual Lula participará em Nova York e terá a presença de outros 34 líderes mundiais.

Agenda
A agenda do líder brasileiro tem início nesta segunda-feira, às 11h (12h de Brasília), com o evento de lançamento de uma campanha de turismo da Embratur.

Na parte da tarde, o presidente já participa de seu primeiro encontro na sede da ONU, um evento sobre o desenvolvimento da África.

À noite, Lula será o homenageado durante entrega do prêmio Inter Press Service, de 2008. A agência de notícias irá agraciar Lula com o prêmio por ele ter ''tirado milhões de pessoas da pobreza em seu país'' e por ele ter ''liderado uma campanha internacional para combater a pobreza e a fome''.

Em seguida, ele irá se encontrar com lideranças empresariais americanas, no hotel em que está hospedado, o Waldorf Astoria, e, por fim, participará de um jantar na sede do instituto de pesquisas Council of the Americas, no qual irá também discursar.

Amorim
Nesta segunda-feira, o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, também dá início à sua agenda, com um encontro com a secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, às 14h45 (15h45, de Brasília).

Na terça, Amorim deverá também se reunir com a representante comercial dos Estados Unidos, Susan Schwab.

Entre os encontros que deverão ser mantidos pelo chanceler durante sua estadia estão uma reunião com os representantes dos Brics (grupo formado por Brasil, Rússia, Índia e China) e as nações do Ibas (grupo integrado pelo Brasil, Índia e África do Sul).

Na quinta-feira, Lula e a comitiva presidencial deverão retornar a Brasília. O chanceler Amorim deverá permanecer nos Estados Unidos até o dia 29.

Serviço 

Mais notícias

Para saber mais

Opinião

    Leia tudo sobre: crise nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG