Lula despede-se de brasileiros carentes que estudarão na Espanha

Brasília, 5 abr (EFE).- O presidente Luiz Inácio Lula da Silva despediu-se hoje de um grupo de dez estudantes de baixa renda que, graças a um convênio entre Brasil e Espanha, farão cursos de pós-graduação na Universidade de Salamanca, na Espanha.

EFE |

Na cerimônia, celebrada no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), estiveram presentes junto a Lula e sua esposa, Marisa Letícia, o embaixador da Espanha no Brasil, Carlos Alonso Zaldívar, e o ministro da Educação, Fernando Haddad, entre outras personalidades.

Os dez estudantes foram selecionados entre os beneficiados pelo Programa Universidade para Todos (ProUni), que o Governo brasileiro iniciou em 2004 com a intenção de promover o Ensino Superior entre as classes sociais mais pobres.

Conforme um convênio assinado entre o Ministério da Educação e a Universidade de Salamanca em janeiro passado, a instituição espanhola inaugura a chamada "etapa internacional" do ProUni e receberá durante os próximos quatro anos dez alunos vinculados ao ProUni por curso letivo.

Ao se despedir dos alunos, Lula agradeceu à Espanha por apoiar a iniciativa, elogiou o respaldo de uma "universidade de excelência" como a de Salamanca, e brincou com os alunos, aos quais pediu que "não gastem muito em telefone" e que "não deixem amores por lá".

O presidente destacou que essa se trata da "primeira vez" que os alunos do ProUni "vão para o exterior". Ele manifestou o desejo de que, no futuro, o programa também permita estudantes espanhóis a realizarem estudos de pós-graduação no Brasil.

O embaixador Alonso Zaldívar, por sua vez, encorajou os estudantes a aproveitarem a oportunidade para não apenas continuarem seus estudos, mas também conhecerem a rica e diversificada cultura espanhola.

O convênio foi estipulado no marco do Tratado Geral de Cooperação e Amizade que Brasil e Espanha assinaram em 1992, que entre seus objetivos está a cooperação bilateral em matéria de educação por meio do intercâmbio acadêmico entre universidades de ambos os países.

A iniciativa conta com o apoio do Banco Santander, que financiará as bolsas de estudos recebidas pelos estudantes, avaliadas em 11 mil euros por ano.

Os dez estudantes selecionados, que procedem de diversas regiões do Brasil, farão estudos de pós-graduação em cursos de Pedagogia, Matemática, Farmácia, Engenharia Civil, Engenharia Química, Engenharia Informática e Comunicação Social. EFE ed/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG